Mais Música!

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Culinária!!!!!!!!


Vamos aproveitar o final do ano, que os conteúdos já estão sendo encerrados e colocar as crianças de "mestre cuca".

Além de colocar em prática toda a teoria aplicada durante o ano letivo.


DANONINHO:

Fica uma delícia!!!

1 Lata de leite condensado

1 lata de creme de leite

1 copo de iogurte natural

1 pacote de tang de morango

* Bate tudo no liqudificador.


MOUSSE DE CHOCOLATE DAS CRIANÇAS

Ingredientes:

1 lata de creme de leite, com soro, em temperatura ambiente

2 medidas (da lata de creme de leite) de Nescau

*Modo de preparo: Misturar bem os ingredientes com uma colher, até obter um creme homogêneo.

Pôr para gelar durante aproximadamente 6 horas


BOLO DE LIMÃO

Ingredientes:

1 caixa de bolo de laranja

1 yogurte natural

1 caixa de gelatina de limão

3 ovos inteiros

1 copo de óleo

*Modo de preparo: Bata no liquidificador o yogurte, os ovos, o óleo e a gelatina.

Coloque em uma tigela a mistura do bolo de laranja e acrescente os demais ingredientes batidos no liquidificador e bata mais um pouco. Em seguida unte uma forma de tamanho médio e coloque a massa para assar. Asse em forno de 180°, por 35 minutos.

Depois do bolo assado, deixe esfriar e faça uma cobertura de 1 lata de leite condensado misturado com suco de 2 limões. Deixe esta cobertura por 1 hora no congelador, antes de colocar sobre o bolo.


BRIGADEIRÃO

Ingredientes:

1 Lata de creme de leite

1 Lata de leite condensado

1 Xícara de chocolate em pó

3 Ovos

1 Colher de margarina

Granulado para decorar

*Modo de preparar: Bata tudo no líquidificadorpor 5 minutos, unte uma forma de buraco com margarina e coloque o brigadeirão.

Leve ao microondas por 15 minutos + ou - , retire da forma e coloque o granulado para enfeitar o brigadeirão fica no formato de um pudim, corte e coloque em forminhas de papel tipo de empada ou em saquinhos de plástico. Depois de pronto é só comer e levar pra casa, amarrado com fitilho.


MOUSSE DE MARACUJÁ

Ingredientes:

1 lata de leite condensado

1 lata de creme de leite

1 copo de suco de maracujá (de garrafinha puro)

1 maracujá ( para enfeitar )

*Modo de preparar: Bata tudo no líquidificador por 10 minutos, coloque em copinhos de café descartável, enfeite com o maracujá e coloque uma colher descartável pequenininha tipo de café dentro do copinho.

Leve na geladeira por 10 minutos, depois de pronto é só comer e levar um pra casa.

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Clássicos Infantis




Esses resumos dos grandes Clássicos são ótimos para reproduzir em fichas de leitura.


Fiz uma atividade em que distribui as fichas sem o nome da história e as crianças tinham que ler a história e associar ao nome correto (que estavam em outras fichas separadas).


Trabalhar textos conhecidos, que as crianças têm contato quase que diário, facilita muito no trabalho de alfabetização.


A Bela e a Fera

Era uma vez, um lindo jovem que vivia em um castelo.
Certa noite, ele recebeu a visita de uma velhinha, que lhe pediu abrigo. Ele negou e ela foi embora. A velha furiosa, transformou-o numa Fera.
Em uma vila distante morava um comerciante chamado Maurício que tinha uma filha chamada Bela .
Um dia, Maurício voltando de viagem passou por um castelo viu um jardim e pegou uma flor para sua filha.
De repente, apareceu uma Fera e aprisionou Maurício. Bela encontrou o cavalo do seu pai perdido e descobriu que seu ele estava no castelo. Chegando lá encontrou seu pai preso. Então resolveu conversar com a Fera. Ela disse à Fera que seu pai já estava velho e se ofereceu para ficar em seu lugar, a troca foi feita. Eles tornaram-se amigos.
Com os passar dos dias eles se apaixonaram, Bela deu-lhe um beijo o encanto da velha foi desfeito ele se transformou em um príncipe, casaram-se e foram felizes para sempre.


Peter Pan

Era uma vez, três irmãos chamados: Wendy, João e Miguel. Eles gostavam das histórias de Peter Pan.
Um dia, Peter Pan entrou no quarto das crianças, pois procurava a sua sombra que tinha sumido.
Então, a fada Sininho jogou um pozinho nas crianças por que queriam voar igual ao Peter Pan. Certo dia descobriram que haviam crianças perdidas na aldeia do índios. No momento em que as crianças voavam viram o capitão gancho que armava um plano para Peter Pan. A fada Sininho avisou que o capitão tinha prendido uma princesa e Peter Pan foi salvá-la.
Quando o capitão gancho viu, quis pegar Peter Pan, ele desviou e o capitão caiu no mar cheio de crocodilos. De volta, a fada Sininho contou que os piratas tinham levado as outras crianças. Peter Pan e seus amigos lutaram com o capitão gancho. A fada Sininho jogou um pozinho por todo o navio e o capitão gancho caiu de novo no mar com os crocodilos.
E assim, as crianças voltaram para casa felizes por ter ajudado o herói Peter Pan.


Pequena Sereia

Era uma vez, um rei chamado Netuno. Ele morava com suas três filhas. A mais nova se chamava Pequena Sereia.
Certo dia, Pequena Sereia foi ao mar tomar sol e cantar com sua bela sua voz. De repente viu um navio naufragando e foi tentar salvar. Ela salvou o rapaz que estava no navio e levou até à praia sem saber que ele era um príncipe.
Pequena Sereia queria ser humana e pediu a bruxa dos mares que lhe transformasse em humana, ela aceitou mas em troca pediu a sua voz como forma de pagamento.
Um dia, o príncipe comentou que estava apaixonado pela moça que lhe salvara. Ela ouviu ele falar mas não pode dizer nada por que estava sem sua voz. O pai da Pequena Sereia soube que a bruxa tinha roubado a voz de sua filha e obrigou a bruxa devolver, então foi devolvida a voz de Pequena Sereia.
Desde então, Pequena Sereia contou tudo que tinha acontecido. O príncipe a pediu em casamento, se casaram, no mar e na terra eles foram felizes para sempre.


Aladim

Aladim era um rapaz muito pobre, seu sonho era se casar com a filha de Sultão, a bela princesa Esmeralda. No palácio onde viviam Sultão e Esmeralda, vivia o malvado Califa.
Um dia, Aladim chegou na caverna do Deus Tigre e encontrou um tapete mágico que lhe ensinou a esfregar a lâmpada mágica. Ele esfregou e de dentro saiu em gênio que disse:
__Você pode fazer um pedido!
Aladim desejou ser um príncipe e foi atendido. Depois disso foi ao encontro da princesa. Ele mudou o seu nome para não ser descoberto pelo Califa. Ao encontrar Esmeralda se apaixonaram e marcaram o casamento. Califa descobriu que o príncipe era Aladim.
Então, Sultão e Esmeralda tiveram que se render ao Califa que se tornou poderoso com a lâmpada mágica que roubara de Aladim. Aladim encontrou mais uma vez o tapete mágico que o levou de volta ao palácio. Chegando lá, ele desafiou Califa, pegou a lâmpada mágica e aprisionou Califa dentro.
Aladim e Esmeralda se casaram, então Aladim fez o último pedido:
__Gênio quero que seja livre!
E assim, o gênio foi solto e todos viveram felizes para sempre.


Os três porquinhos

Era uma vez, três porquinhos chamados: Cícero, Heitor e Prático.
Um dia, eles resolveram deixar a casa de sua mãe e foram construir suas próprias casas na floresta.
Prático disse que faria sua casa de tijolos, os irmãos riram e disseram que palha e madeira era mais simples.
Enquanto Prático trabalhava muito seus irmãos fizeram suas casas depressa e foram brincar.
Uma noite, veio um lobo bateu na casa de palha e queria entrar, o porquinho apavorado não abriu a porta. Então o lobo estufou o peito e soprou forte. O porquinho correu para a casa do irmão. O lobo chegou gritou mas ninguém abriu a porta, estufou novamente o peito e soprou e tudo voou.
Os irmãos correram para a casa de Prático construída de tijolos. Como era esperto deixou um caldeirão perto da porta, o lobo correu e caiu dentro do caldeirão com água fervendo e fugiu da casa.
E assim, os três porquinhos viveram felizes na casa de tijolos.




Chapeuzinho vermelho

Era uma vez, uma linda menina chamada Chapeuzinho Vermelho.
Certo dia, sua mãe pediu que ela fosse levar uma cesta de doces na casa da sua vovó.
Sua mãe disse a ela que tivesse cuidado e que não fosse pela floresta mas que seguisse o caminho do bosque.
De repente, apareceu um lobo mau que perguntou para onde ela estava indo. Ela disse que estava indo à casa da vovó. O lobo mandou Chapeuzinho ir pela floresta. E assim enganou Chapeuzinho e foi para a casa da vovó. Chegando lá, o lobo já tinha enganado sua vovó dizendo que era chapeuzinho Vermelho. Comeu a vovó, se disfarçou vestiu-se de vovó e deitou-se na cama.
Quando chapeuzinho chegou na casa da vovó tomou um susto e perguntou: __Vovozinha, por que essas orelhas tão grandes?
__É pra te ouvir melhor!
E pra que esses olhos tão grandes?
__É pra te ver melhor!
E essa boca tão grande?
E o lobo respondeu:
__É pra te comer!
Ele correu atrás de Chapeuzinho Vermelho, ele tropeçou e caiu, ela conseguiu se esconder dentro de um armário.
De repente apareceu um caçador que procurava por esse lobo a muito tempo. Ele atirou, matou o lobo, tirou a vovó de dentro da sua barriga, encheu a barriga com pedrinhas.
E assim, Chapeuzinho e a vovó se abraçaram, prometeu não desobedecer mais a sua mãe e foram muito felizes.




A Bela Adormecida

Era uma vez, um rei e uma rainha de um reino distante. Eles estavam tristes por que não tinham filhos. Ao chegar a primavera a rainha deu a luz a uma menina chamada Aurora.
Felizes com o nascimento comemoraram com uma festa, o batizado de sua filha. Todas as fadas do reino foram convidadas e cada uma delas presenteou Aurora com um dom: humildade, amor e sabedoria.
De repente, surgiu uma malévola furiosa por não ter sido convidada, disse que Aurora ao completar quinze anos espetaria o seu dedo no fuso de uma roca e dormiria num profundo sono.
As fadas se reuniram para desfazer o feitiço, mas não conseguiram. O rei ordenou que todas as rocas fossem destruídas.
O tempo passou, e no aniversário de quinze anos de Aurora, ela passeando pelo castelo encontrou uma a roca, sem querer espetou o seu dedo e caiu em um profundo sono, junto com ela todos do reino adormeceram. A história se espalhou por todo o reino e virou uma lenda.
Um dia, um príncipe soube e foi até o castelo, chegando lá encontrou todos adormecidos. Viu a princesa Aurora e encantou-se com sua beleza, deu-lhe um beijo. Aurora despertou e todos do reino também.
Tempos depois, todos se reuniram para celebrar o casamento do príncipe e da bela Aurora que viveram felizes para sempre.




Cinderela

Era uma vez, uma linda moça chamada Cinderela. Após a morte de seu pai ela passou a morar com a sua madrasta e sua duas filhas. Cinderela passou a ser empregada da casa. Com a herança de seu pai, a madrasta cobria as duas filhas de vaidades.
Um dia, o rei mandou uma mensagem convidando todas as moças do reino para um baile, pois queria escolher a noiva do príncipe.
No dia do baile, Cinderela perguntou a madrasta se podia ir, ela disse que não, pois teria que ficar para fazer os trabalhos de casa.
Vendo todos irem ao baile, Cinderela chorou muito. De repente, apareceu sua fada madrinha e com sua varinha de condão, transformou sua roupa velha em um belo vestido, sapatinho de cristal e uma carroagem e disse que à meia noite o encanto acabaria. E assim, Cinderela foi ao baile. Chegando lá todos se encantaram com sua elegância. O príncipe dançou com ela a noite inteira. Mas à meia noite com medo do encanto acabar, Cinderela saiu correndo deixando cair seu sapatinho de cristal.
Então, foi enviado um mensageiro para que todas as moças do reino calçassem o sapatinho. Chegando na casa de Cinderela as irmãs dela calçaram o sapato. Ao calçar no pé de Cinderela todas começaram a rir, mas para surpresa de todos só coube no pé de Cinderela.
E assim, o príncipe casou-se com Cinderela e foram felizes para sempre.



Pinóquio

Era uma vez, um velho carpinteiro chamado Gepeto. Ele não tinha família e passava o tempo construindo bonecos de madeira.
Um dia, Gepeto construiu um boneco muito bonito e chamou-o de Pinóquio Como Gepeto se sentia só, pediu as estrelas que desse vida ao boneco. Enquanto ele dormia apareceu uma fada azul e deu vida ao boneco.e prometeu que transformaria Pinóquio em um menino de verdade. No dia seguinte, Gepeto matriculou Pinóquio em uma escola e comprou material escolar. No primeiro dia de aula, o grilo falante foi ensinar o caminho da escola para Pinóquio. Perto da escola tinha um circo, Pinóquio foi até lá, como não tinha dinheiro para comprar o ingresso, deu o seu material escolar. O dono do circo disse que ele que seria famoso, ele aceitou trabalhar no circo. No fim da tarde Pinóquio sentiu saudades de casa e resolveu voltar. Contou muitas mentiras que ele contava o seu nariz crescia. No caminho de casa encontrou dois malandros que disseram que Pinóquio ficaria rico, então ele acreditou, mas já estava ficando tarde e Pinóquio foi embora, mas os malandros prenderam ele. Passou-se os dias e Pinóquio conseguiu fugir.
Chegando em casa não encontrou Gepeto. Ele foi até a praia e lá descobriu que Gepeto tinha sido engolido por uma baleia. Pinóquio entrou no mar para salvar Gepeto a baleia lhe engoliu também, então encontrou Gepeto dentro. Para conseguir sair de dentro da baleia eles fizeram uma fogueira, e assim conseguiram sair de lá.
Desde então, Pinóquio passou a viver como uma criança normal, resolveu não mentir mais e viveram muito felizes.


João e Maria

Era uma vez, senhor lenhador que morava com seus filhos João, Maria e a madrasta.
Eles moravam numa casa muito humilde e não tinham o que comer. Um dia a madrasta disse ao lenhador que abandonasse as crianças na floresta e ele concordou. João ao ouvir a conversa colocou no bolso pedrinhas para marcar o caminho de volta.
Quando foi na segunda tentativa a madrasta deu pão e colocaram pedaços de pão para marcar o cominho de volta, mas os passarinhos comeram tudo,então eles não conseguiram mais voltar e se perderam. Com medo, caminharam e viram uma luz de longe. Chegando lá encontraram uma casinha de doces. Eles tocaram a campanhinha feita de doces, a dona da casa disse que eles podiam entrar. A bruxa então, prendeu João no porão cheio de pedras preciosas e colocou Maria para fazer os trabalhos de casa. Ela queria comer o menino e todas às vezes que a bruxa pedia o dedo de João para ver se ele estava gordo ele colocava um pedaço de osso.
Um dia, a bruxa pediu a Maria que acendesse o fogo por que ia comer João. Maria esperou a bruxa chegar perto e empurrou ela dentro do fogo. João e Maria saíram correndo. Encontraram um rio e viram seu pai. O pai pediu-lhes perdão e disse que a madrasta tinha morrido.
Então, João entregou as pedras preciosas que pegara da bruxa, e com o dinheiro das vendas ficaram ricos e felizes.


Rapunzel

Era uma vez um casal que queria ter uma filha.Nos fundos da casa do casal tinha um jardim com belas flores e frutas. Nesse jardim morava uma feiticeira.
Um dia, a mulher sentiu vontade de comer maçãs do jardim da vizinha. O marido foi colher as maçãs para sua esposa.
De repente, apareceu a feiticeira e perguntou:
__Por que você veio roubar as minhas maçãs?
O marido respondeu:
__ Minha esposa estava com desejo de comer maçãs.
A mulher deixou ele pegar e disse que em troca tinha que dar o filho que nascesse. Quando a sua esposa deu a luz chamou-a de Rapunzel. Ela tornou-se a moça mais bonita com tranças. Ao completar doze anos a feiticeira prendeu Rapunzel na torre no meio da floresta com uma janela no quarto.
Quando a feiticeira queria subir na torre ela gritava:
__Rapunzel, jogue suas tranças!
Um dia, na torre Rapunzel quando cantava, apareceu um príncipe que caçava, ele pediu para ela jogar as suas tranças. E assim ele subiu e vendo a beleza de Rapunzel pediu-lhe em casamento e decidiram fugir. No dia da fuga, a feiticeira descobriu e furiosa cortou as tranças de Rapunzel. Então esperou o príncipe para se vingar. Quando ele chegou, viu a feiticeira e apavorado caiu em cima do espinho e ficou cego.O príncipe passou a viver no bosque comendo frutas e raízes. Um belo dia seu encanto foi desfeito ele ficou tão emocionado que voltou a enxergar.
Finalmente, ele encontrou Rapunzel, levou para seu reino, se casaram e foram felizes para sempre.


Branca de Neve

Era uma vez uma linda moça chamada Branca de Neve. Quando seu pai morreu, ela passou a viver com sua madrasta.
Um dia, sua madrasta perguntou a um espelho mágico:
__Espelho, espelho meu existe alguém mais bela do que eu?
__Até que um dia espelho disse que a mais bela era Branca de Neve. Ela mandou um caçador procurar ela na floresta e mandou matar Branca de Neve. Ao encontrar ela o caçador pediu que fugisse para bem longe.
De repente, Branca de Neve encontrou uma casinha, entrou e viu que tudo era pequeno, juntou duas camas e deitou-se. Ao anoitecer apareceu sete anões que entraram em sua casa e encontraram Branca de Neve dormindo. Quando ela acordou viu os sete anões, então ela contou sua triste história e os sete anões passaram a cuidar dela.
Um dia, a madrasta descobriu que Branca de Neve não tinha morrido e se disfarçou de velhinha, foi até a floresta e ofereceu uma maçã envenenada para Branca de Neve. Ela mordeu a maçã e adormeceu. Os anões colocaram Branca de Neve em um caixão de cristal. Passando um príncipe viu Branca de Neve dormindo, se apaixonou. Ele resolveu dar-lhe um beijo, Branca de Neve acordou o encanto foi desfeito eles se casaram e foram felizes para sempre.
Recebi esses resumos por e-mail das amigas do grupo Professoras alfabetizadoras do Yahoo

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

100 Anos da Imigração Japonesa


Depois de muita ajuda das minhas amigas do Orkut, consegui montar algumas atividades para um Projeto sobre a imigração japonesa, que gostaria de compartilhar com vocês





Projeto 100 Anos da Imigração Japonesa

Objetivos:
Conhecer, valorizar e respeitar a cultura japonesa assim como sua grande contribuição a nossa cultura.

Estratégias:

Para os Berçários:

- Apresentação das diversas contribuições deixadas pelos imigrantes que até hoje estão em nosso cotidiano; (texto 100 legados japoneses)

- leitura dramatizada da lenda da princesa “Orihime”

- Caracterização, através de maquiagem típica e penteados;

- Desenhos para representar os sonhos que irão ser pendurados nos bambus

- Jogo da memória com figuras japonesas

- Brincadeira típica: Daruma-san ga koronda, jogo cujo objetivo é aproximar- se ao máximo do “pegador”, sem ser percebido por este, enquanto ele fala “Daruma-san ga koronda” (literalmente “O boneco daruma tropeçou”).

Para Infantil I, II e 1º ano



- Apresentação das diversas contribuições deixadas pelos imigrantes que até hoje estão em nosso cotidiano; (texto 100 legados japoneses)

- Confecção do Origami de Tsuru;

- Apresentação de um Bonsai e seus cuidados para que a sala cultive durante o ano letivo,
- Leitura do livro “As histórias Preferidas das Crianças Japonesas” (Ed. JBC)
- Brincadeiras típicas: otedama são saquinhos coloridos feitos com pedaços de pano velho enchidos, geralmente, com feijão azuki. São, em sua maioria, redondos e pequenos o suficiente para caber na palma da mão. Alguns possuem também pequenos sinos. Com os otedama, podem-se criar inúmeros jogos. No mais comum, o jogador lança o saquinho no ar com uma mão, pega-o com a outra e então passa-o depressa para a mão lançadora. Esse jogo é denominado nage-dama. Em outro jogo comum com os otedama, o jogador deve lançar o otedama para cima e, enquanto o saquinho está no ar, deve tentar fazer vários tipos de movimentos com os outros saquinhos. À medida que o jogo avança, a dificuldade e a complexibilidade dos movimentos também aumentam.

- Manuseio de mangás, apresentação de mangás conhecidos (ex: Naruto)

- leitura dramatizada da lenda da princesa “Orihime”

- Caracterização, através de maquiagem típica e penteados;

- Desenhos ou escrita espontânea para representar os sonhos que irão ser pendurados nos bambus do festival

- Jogo da memória com figuras japonesas

Para a Unidade:

Culminância:

- Reprodução do “Festival das Estrelas”




Festival Tanabata Matsuri


A Lenda que deu origem à comemoração
Uma lenda japonesa conta a origem do festival Tanabata:


Há muito tempo, de acordo com uma antiga lenda, morava próximo da Via-Láctea uma linda princesa chamada Orihime a "Princesa Tecelã".
Certo dia Tenkou o "Senhor Celestial", pai da moça, apresentou-lhe um jovem e belo rapaz,
Kengyu o "Pastor do Gado" (também nomeado Hikoboshi), acreditando que este fosse o par ideal para ela.
Os dois se apaixonaram fulminantemente. A partir de então, a vida de ambos girava apenas em torno do belo
romance, deixando de lado suas tarefas e obrigações diárias.
Indignado com a falta de
responsabilidade do jovem casal, o pai de Orihime decidiu separar os dois, obrigando-os a morar em lados opostos da Via-Láctea.
A separação trouxe muito
sofrimento e tristeza para Orihime. Sentindo o pesar de sua filha, seu pai resolveu permitir que o jovem casal se encontrasse, porém somente uma vez por ano, no sétimo dia do sétimo mês do calendário lunar, desde que cumprissem sua ordem de atender todos os pedidos vindos da Terra nesta data.
Na mitologia japonesa, este casal é representada por
estrelas situadas em lados opostos da galáxia, que realmente só são vistas juntas uma vez por ano: Vega (Orihime) e Altair (Kengyu).


A celebração
O festival que celebra esta história de amor teve início na Corte Imperial do Japão há cerca de 1.150 anos, e lá tornou-se feriado nacional em 1603.
Atualmente o Tanabata é uma das maiores festas populares do Japão. É realizado em diversas cidades, o mais tradicional é o de Miyagui, que se realiza em agosto, aproveitando as férias de verão das escolas japonesas.

No Brasil
No Brasil o primeiro festival Tanabata foi realizado na cidade de Assaí no Estado do Paraná no ano de 1978.
O Festival das Estrelas
Com o nome de "Festival das Estrelas", o Tanabata Matsuri é realizado na cidade de São Paulo, na Praça da Liberdade, no mês de julho, desde 1979.
Esta é a principal comemoração anual do bairro, incluída no Calendário Turístico do Estado e do Município de São Paulo:
as ruas a praça são decoradas com grandes ramos de bambu ornamentados por enfeites de papel colorido que simbolizam as estrelas;
tanzaku, pequenos pedaços de papel onde as pessoas colocam seus pedidos, são pendurados nesses bambus;
são realizados também apresentações de tambores Taikô, danças folclóricas e shows de cantores.