Mais Música!

quarta-feira, 14 de maio de 2008

Atendendo Pedido


O que é Folclore?
A palavra folclore é formada pelas palavras inglesas foIk, que significa povo, e lore, que é estudo, conhecimento. Ele é o estudo dos costumes e das tradições de um povo, representado pelos seus diversos movimentos culturais regionais. Conhecê-lo permite a valorização daquilo que é uma das principais marcas de um país: a sua cultura.

Dia do Folclore
No Brasil, o Dia do Folclore é comemorado em 22 de agosto. Nosso folclore é um dos mais ricos do mundo. Nele, estão presentes as características dos povos que contribuíram para a formação de nossa nação, principalmente os africanos, os indígenas e os europeus. As pessoas que o estudam são chamadas folcloristas. Um dos principais estudiosos brasileiros foi Luís da Câmara Cascudo (1898-1986).

Mitos e Lendas
A maioria das lendas são pequenos contos sobre o surgimento de um ser fantástico. Mitos geralmente são personagens criados pelo imaginário popular para explicar fenômenos naturais ou representar valores como coragem, poder ou esperteza. A principal diferença entre mitos e lendas é a crença de que as lendas tenham uma base de verdade, embora ninguém saiba ao certo se o fato aconteceu. Mitos são mais ligados ao incrível e ao inexplicável.

O Folclore no Brasil
As festas populares e o folclore brasileiro são um dos mais expressivos e ricos do mundo, manifestando-se nas canções, lendas, danças, crendices e na literatura. A mistura das raças e povos na formação da nação brasileira diversifica as festas e os eventos folclóricos em todas as regiões do país.
São tantas as práticas folclóricas brasileiras! Algumas chegam a interferir no cotidiano da população. As fases da lua, por exemplo, determinam a época do plantio e da colheita.

Nas regiões Norte e Nordeste do país, o bumba-meu-boi está inserido no calendário cultural. O bumba é uma brincadeira tradicional das festas juninas do Brasil, com personagens vestidos de índios e vaqueiros dançando e cantando ao som de zabumbas, matracas, pandeiros e orquestra .
O Festival Folclórico de Parintins, uma cidade do estado do Amazonas é o maior espetáculo da região, tendo como motivo a disputa entre dois grupos de bumba-meu-boi.

Em Pirenópolis, cidade histórica de Goiás, a festa do Divino Espírito Santo, conhecida como Cavalhadas, lembra a luta de conversão dos mouros ao cristianianismo.

Na Bahia, no Nordeste, o sincretismo religioso é praticado nas festas de Nosso Senhor do Bonfim, com a lavagem das escadarias da igreja, e de Iemanjá, senhora dos ventos e das tempestades que recebe flores em alto mar.
Na Região Sul, no estado do Rio Grande do Sul, é forte a tradição dos fandangos, bailes campestres de danças sapateadas ao som de músicas regionais. A Festa de Reis, uma homenagem aos reis magos que anunciam a chegada do Messias, está no calendário de várias regiões do país.

O folclore está presente no teatro, com os autos populares; na música, com as cantigas de roda e de ninar; e na dança, com o frevo, maracatu, maxixe, a folia de Reis e a congada; no vestuário, nos trajes das baianas e dos dançarinos dos maracatus e da chula.
Personagens fantásticos do folclore brasileiro povoam o imaginário popular, como o Saci Pererê, o moleque das pradarias gaúchas que anda numa perna só, o Lobisomen, que se transforma em monstro em noite de lua cheia, e o Boto, que surge das águas amazônicas sob a forma de um belo rapaz para seduzir as mocinhas.
Em todas as suas manifestações, é evidente a presença do folclore no ambiente brasileiro.
A maior festa popular do Brasil é o Carnaval.
A região sudeste para durante três dias em função dos folguedos de Momo, com o deslumbrante e longo desfile das escolas de samba na avenida.
Na Região Nordeste, especialmente no Carnaval do estado da Bahia, o que reúne o povo nas ruas são os trios elétricos, invenção baiana, arrastando multidões pelas ruas da cidade.
Em contrapartida ao período carnavalesco, na região norte do país, o brasileiro festeja com reverência as festas religiosas. Em Belém, no Pará, cerca de 2 milhões de pessoas participam do Círio, uma procissão de fé que se realiza em homenagem a Nossa Senhora de Nazaré.
Nas regiões Norte e Nordeste, as festas juninas preservam a cultura interiorana, com cantigas de roda, e a tradicional quadrilha, que é uma sátira aos costumes do roceiro. São também realizados os chamados forrós, bailes populares tradicionais organizados ao redor de fogueiras que ardem e de variadas comidas típicas.
No Sul do país, as festas populares revivem os costumes e a cultura do imigrante. A Oktoberfest, festa tradicional da cerveja realizada na cidade de Blumenau, em Santa Catarina, exibe danças e trajes típicos da Alemanha. No Rio Grande do Sul, dezenas de festas populares homenageiam a arte e a tradição do gaúcho e de seus antepassados europeus.


PROJETO FOLCLORE

Justificativa:


Propiciar as crianças conhecer algumas brincadeiras folclóricas tradicionais, buscando nas brincadeiras a dimensão do aprender brincando.


Objetivo específico:


Estabelecer algumas relações entre o modo de vida característico de seu grupo social e de outros grupos, identificar e compreender a sua pertinência aos diversos grupos dos quais participam, respeitando suas regras básicas de convívio social e a diversidade que os compõe.


Objetivos Gerais:


-Identificar e valorizar o folclore brasileiro;


-Resgatar brincadeiras folclóricas;


-Estimular e desenvolver o gosto pela música e danças da cultura popular.


-Vivenciar, a partir de jogos e brincadeiras, laços de companheirismo e vínculos afetivos;


-Desenvolver a organização e autonomia para o trabalho individual, em dupla e grupos.


-Sistematizar os conhecimentos sobre folclore


Conteúdos:


-Possibilitar à criança conhecer e comparar os diferentes grupos sociais e as suas diferenciações, suas tradições históricas.


-Interessa-se e demonstrar curiosidade pelo mundo social e natural elaborando hipóteses, formulando perguntas, imaginando soluções para compreendê-lo, manifestando opiniões próprias sobre os acontecimentos, buscando e consultando diferentes formas de informações acompanhando experiências e confrontando idéias.


-Participação em atividades que envolvam histórias, brincadeiras, jogos e canções que digam respeito às tradições culturais de sua comunidade e de outras.


Metodologia:


-Selecionar com as cças uma música e uma dança folclórica para realizar apresentação;


-Contar histórias diversas, lendas, parlendas, sobre folclore;


-Explorar as histórias, emitando personagens, sons, falas, etc, (Saci Pererê, Boitatá, Boto, Caipora, Cuca, Curupira,Iara, Lobisomem, Mantintapereira, Mula-sem-cabeça, Negrinho do Pastoreio, etc.


-Explorar as historias a partir de recursos como teatro de vara, fantoche, historias em quadrinhos historia com interferência, trabalhando com quantidade, vogais, noite e dia, partes do corpo, textura, cores.


-Trava língua, Provérbios


-Construir mural;


-Comparar os personagens das histórias, local, tempo, diferenças, semelhanças, forma, tamanho, cores, etc..


-Surpreender as crianças com cartas ou bilhetes do Saci-Pererê,


-Escolher com as crianças algumas brincadeiras folclóricas para serem realizadas ao longo do projeto; (que envolvam contagem, sons diferentes, etc...)


-Realizar uma oficina de confecção de Pipa;


-Construir pés de latas para brincadeiras;


-Fazer cachimbo do Saci Pererê com massa de modelar ou argila


-Realizar tarde de danças e brincadeiras



BILBOQUE DE BOLITAS


Materiais: Duas garrafas pet, cinco bolitas, tesoura e fita adesiva.


COMO FAZER:1. Corte uma garrafa ao meio, 2. Introduza as bolitas na garrafa não cortada, 3. Una as garrafas com fita adesiva, colocando a parte inferior da garrafa cortada sobre a garrafa inteira.


PETECA


MATERIAIS: Um saco de salgadinho vazio, tesoura, jornal e 20 cm de elástico.


COMO FAZER:1. Faça uma bola de jornal tamanho pequeno, 2. Introduza a bola de jornal no saco de salgadinho, 3. Amarre o elástico procurando deixar a base arredondada. 4. Picotar a parte superior do saco (como um penacho).


BOLA DE MEIA


MATERIAIS: Um pé de meia (nylon), jornal e tesoura.


COMO FAZER:1. Faça uma bola de jornal, 2. Introduza no pé de meia, 3. Procure dar formas arredondadas à bolinha, 4. Dê um nó próximo à bolinha, 5. Corte o excesso.

5 comentários:

Deise disse...

Olá Querida, ótimo projeto, adorei também as dicas da festa junina. Bj

Deise disse...

Olá Querida, estou com um novo cantinho, dá uma passadinha lá, ok. Bjs
http://acontadoradehistoria.blogspot.com/

Rose Diniz® disse...

Oieeeeeeeee tudo na paz? Passei pra te visitar e te convidar pra um café da manhã no meu blog terça, 20/05 ok? Conto com a sua presença. Vc é muito especial. Beijos docinhos pra vc e uma abençoada semana em nome do Senhor nosso Deus.

Cybele Meyer disse...

Olá Camila, tudo bem?
Parabéns pelas postagens.
Estou colocando um link hoje em meu blog para o seu com o Projeto Folclore, ok!
Parabéns e sucesso!
beijinhos

Profesor Paulo Cezar disse...

Parabéns pelo Blog Camila!
Grande abraço!
Paulo Sergio guara49@gmail.com